Como o melhor aproveitamento do pasto pode impactar pequenos e médios produtores

Ao falarmos em aproveitamento do pasto, somos direcionados a imaginar que uma parte do pasto está sendo perdida ou deixando de ser aproveitada. Muitos produtores acreditam que, para melhorar a eficiência na área, não possa haver sobra de pasto no campo, e deve-se evitar ao máximo o acúmulo forragem senescente. Assim, acabam aplicando taxas de lotação acima da capacidade de suporte, acarretando em um dos principais problemas do cenário nacional que é o superpastejo.

Para compreender o equívoco em se buscar o total aproveitamento do pasto (no sentido de colheita) e para que possamos apresentar o manejo do pasto por um novo olhar, devemos conhecer a pastagem como um ecossistema particular. Esse é um pré-requisito fundamental para permitir um melhor entendimento dos processos de produção envolvidos e para, posteriormente, propor opções voltadas para o estabelecimento de estratégias que visem a atividade mais lucrativa e sustentável.

Se você se identificou com essa situação, e deseja entender como se ter um melhor uso do ambiente pastoril, confira este conteúdo, que irá abordar os seguintes tópicos:

Conceito de perda de forragem

Conceito de capacidade de suporte

Diferenças entre eficiência de colheita e de utilização

Pastagem como um ecossistema