O cultivo protegido realmente aumenta a produção?

As Produções Agrícolas vêm ganhando uma nova roupagem, ou seja, novas maneiras de cultivo devido ao avanço que a tecnologia vem trazendo para o meio agronômico, o que vem dando um grande suporte ao agricultor, tanto no plantio quanto na colheita. Devido as grandes mudanças climáticas que estão ocorrendo nos últimos anos, a preocupação com as plantações aumenta, pois, uma drástica mudança no clima pode acarretar na perda de grande parte, ou da totalidade da lavoura.

Devido as grandes mudanças climáticas que estão ocorrendo nos últimos anos, a preocupação com as plantações aumenta, pois, uma drástica mudança no clima pode acarretar na perda de grande parte, ou da totalidade da lavoura. Mesmo que não sejam grandes mudanças, algumas delas de pouco impacto visualmente podem gerar uma grande diferença em produtividade, como por exemplo, uma queda alta de temperatura que veio de maneira inesperada. Todos esses fatores citados acima influenciam diretamente no lucro em que a produção iria trazer ao investidor.

Através disso foram desenvolvidas diversas maneiras para que esses fatores climáticos, inesperados, não gerassem uma perda de produção, a partir daí surgiu-se o cultivo protegido. Essa forma de cultivo é realizada dentro de estufas, onde o ambiente é totalmente controlado, como por exemplo: temperatura, umidade, irrigação, nutrientes, etc. Devido a isso as culturas não sofrem as agressões que algumas condições climáticas podem trazer, e ficam em um ambiente propício para o seu desenvolvimento de maneira saudável e sustentável.

Segundo a maioria dos produtores de estufa, pode-se produzir qualquer cultura de maneira protegida, porém se você produzir uma cultura que dura oito meses, igual mandioca, o tempo para obtenção de um retorno financeiro irá demorar mais do que se fosse uma produção de hortaliças, a qual o retorno será obtido em cerca de um mês. Com culturas que o ciclo é menor o giro do capital é mais rápido.

Outro benefício do cultivo protegido, além de poder controlar as condições climáticas, é a produção de um alimento diferenciado no mercado, o qual não terá a utilização de inseticidas, pesticidas, defensivos agrícolas. Essa maneira de cultivo irá proporcionar um alimento mais limpo, com o mínimo necessário de produtos químicos, ou sem nenhuma quantidade deles. Grande parte dos alimentos orgânicos que se encontram no mercado, vem de produções feitas em cultivo protegido.

Com o cultivo produtivo vieram também diversas tecnologias para complementar o agronegócio, as quais visam uma melhoria na qualidade e na produtividade. Uma prova disso é que a partir dessa forma de cultivo tem-se uma produtividade entre safras, o que não seria possível se fosse feito pelo método tradicional. Com isso não ocorrerá a falta de produtos no mercado e a oferta de produtos é aumentada, gerando maior rentabilidade aos produtores, pois eles irão obter retorno em períodos mais curtos, ou até em momentos que antes (pelo método tradicional) eles não teriam rentabilidade em uma certa época do ano.

Portanto, é evidente que o cultivo protegido oferece uma maior produtividade, e isso se deve ao maior controle que se tem sobre as condições climáticas e nutricionais da cultura, oferecendo uma maior produtividade. Consequentemente essa maior produtividade irá gerar uma maior rentabilidade do negócio. Além disso é mais fácil ter um alimento mais saudável através da produção em estufas, ou seja, um alimentos em a utilização de produtos químicos durante o ciclo.

Ficou interessado no assunto? Leia também

Cultivo protegido: como maximizar sua produção

ou

Como o cultivo protegido te levará mais longe?

Escrito por Leandro Pedro Bertoni Junior