O que são indicadores econômicos  e como eles auxiliam a tomada de decisão?

Tomar uma decisão normalmente não é uma tarefa simples e fácil, e que muitas vezes, faz parte da vida de empreendedores e investidores. Para auxiliar justamente neste momento delicado, empreendedores buscam artifícios, informações e dados que podem fundamentar melhor a tomada de decisão.

Dentre os artifícios, encontra-se os Indicadores Econômicos, essenciais para avaliar  situações macroeconômicas de uma região, estado ou país, apontam tendências de mercado e outras informações fundamentais para o sucesso de um investimento.

Na ESALQ Jr. Consultoria, no desenvolver dos projetos de Viabilidade Econômica, busca-se sobretudo, mitigar e reduzir a incerteza do investimento, através da análise de indicadores econômicos. Neste artigo, você pode acompanhar um pouco mais sobre alguns dos indicadores utilizados, como funcionam e qual a importância dos mesmos na tomada de decisão.

TMA e TIR

A TMA –Taxa Mínima de Atratividade, representa o mínimo que um projeto deve dar de retorno, a fim de ser economicamente viável. Para tal, é preciso que o novo investimento que está sendo proposto possua uma rentabilidade superior ao custo que a empresa tem de manter esse dinheiro circulando dentro dela.

Há diversas formas de se analisar a viabilidade de um projeto, como o VPL, TIR e TIRM (trataremos da TIRM em outro post!).

De acordo com Borges (2013), a TIR – Taxa Interna de Retorno é uma fórmula que tem como finalidade calcular a taxa de desconto de um fluxo de caixa para igualar seu VPL a zero. Ou seja, seria a taxa de retorno do investimento que está sendo estudado.

Para calculá-la, basta igualar a equação do VPL, mostrada pela figura abaixo, a zero, obtendo assim a TIR. Com esse valor, é preciso compará-lo a Taxa Mínima de Atratividade que foi estipulada, para saber se investimento está dentro dos padrões esperados pelos investidores.

 

Gostaria de saber mais sobre como os indicadores podem direcionar a tomada de decisão?
Clique aqui e saiba mais!


VPL

O VPL (Valor Presente Líquido) é uma ferramenta muito utilizada para a análise de viabilidade econômica, e ela consiste em trazer todo o montante de dinheiro que será usado ao longo do projeto, junto com o investimento inicial para a data zero. (PRATES, 2016)

Na matemática financeira, não basta somar ou subtrair valores futuros ou passados para fins de comparação, é preciso considerar o valor do dinheiro no tempo já que o valor do dinheiro é variável. O valor presente líquido é um indicador da viabilidade de um projeto, e como todo indicador, ele é usado de forma comparativa.
Portanto, esse indicador precisa ter seus valores deflacionados, e nesse caso para o tempo zero, ou seja, antes de começar a execução do projeto.

Essa ferramenta, possui algumas vantagens como levar em consideração o valor do dinheiro no tempo, além do custo de capital da empresa (pela TMA), ser aplicável a qualquer fluxo de caixa.

Por outro lado, para resultados melhores, é preciso uma boa estimativa dos fluxos de caixa, pois ele não considera a vida do projeto dando valores superiores para projetos com maior duração mesmo que esse não seja a melhor opção, um problema análogo ocorre para projetos com investimento iniciais maiores, que irão apresentar VPL maiores também. A figura abaixo demonstra a composição matemática do VPL.

Na figura acima, FCo significa o investimento inicial, que também é tido como o fluxo de caixa do período zero e ele deve entrar negativo na equação.

Neste post, trouxemos um pouco mais sobre como funcionam a TMA, a TIR e o VPL, e esperamos ter ajudado em suas dúvidas. Caso tenha ficado com alguma incerteza ou se deseja saber mais sobre o assunto, entre em contato ou clique aqui!

Anderson Cortiella